Sóbrio

Não faz muito tempo, te ouvi chamar meu nome
Você podia me revelar alguma verdade
Alguma coisa que esconde

Quando o céu muda de cor e estou no concreto
Não tenho medo
Nada que me é estranho vai chegar perto

Eu nunca coube nesse carro, em um trabalho
Muito menos no meu quarto
Provavelmente não caberei no teu abraço
De um braço só, banzado

Talvez dançar ao som da sua própria música
Seja o melhor pra misturar as cores que existem dentro de ti
Amanhã se eu estiver acima de todos, tome cuidado e não me interrompa.
Sóbrios, vasos sanguíneos são perigosos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s