Mês: julho 2015

Pentágono

Lados truncados arestas nomes invisíveis, o vértice. Descubro que és Marcelo embora ele já tenha partido e descubro que ele não partiu, nenhum deles, ninguém. És outro Marcelo. E carreguei-os o tempo todo sem ver, estavam escondidos nas feridas que eles mesmos abriram, presos nas fissuras de uma terra fértil no compartimento da mochila.

Novo elemento sua face imigrante dos sistemas que domino, finjo que não sei como funciona nem o que vai acontecer. Ursinha barriguinha os fogos dos lugares inóspitos. Mas eu sei, eu conheço, eu vi de longe. Sentamos em mesas distintas, mas nos enxergamos, nos encontramos distorcidos em alguns reflexos.
Brincamos de tentar adivinhar a próxima palavra. Qual é a próxima coisa das nossas vidas que vai ser separada por vírgula? Fazemo-nos em pedacinhos, desfazendo e jogando para o que o outro possa remontar e descobrir a grande imagem que se forma. Uma vez distorcida, jamais será 300 dpi.

E assim somos.

Sempre soube que queria te transformar em imaginário, amigo, amor, personagem, das minhas caminhadas e fantasias. Neguei por um tempo, mas sempre me obrigo a fluir e eis você ao meu lado, mesmo… Mesmo assim. PAUSA. Respira. Ofegante gemido loucura. O. Grito. Um. Grito. E volta. Mesmo tão distante.
Você não é, não está, não não não não nenhum verbo nada nihil. Entretanto já te coloquei na minha pele, no meu pescoço, no meu calor. Respira. Calma. Não assim. Suave, prazer. Em que já coloquei outros, em que outros já estiveram já foram, tocaram, etc. Os verbos.

Uma partida filosófica que não deixa nada além dos rastros que quero te fazer seguir, desenvolvo e transcorro naturalmente labirinto jogo eterno pesadelo de cabeceira nome, cabelo e perfume desconhecido. Quantos nomes alguém pode ter? Eu Lina, nós Kindberg. Um lugar chamado assim.

Anúncios

Soneto Quebrado

Seres humanoides habitam meus lábios
No desespero pela felicidade real,
A ilusão, a cegueira
O amor que engana e diminui

Não era amor, achei que fosse
Quebrei, chorei, tomei banho de mim
Suicídio filosófico, reconstrução do ser
Restos planetários, engenharia de giz

A regra da próclise
Escaneamento de mentes
Pedaços, fragmentos

Harmonias artificiais, coisas novas
Princípios de calvície, tubulações instantâneas
Não sou nós